Reforma Tributária: Empresas antecipam a distribuição de dividendos

Com a proposta de uma reforma tributária, muitas empresas estão se movimentando para acompanhar as mudanças que podem acontecer, para realizarem um planejamento adequado e não saírem no prejuízo, a proposta da reforma prevê mudanças que podem afetar os dividendos das empresas.

A proposta da reforma tributária altera algumas regras do Imposto de Renda, ela prevê um aumento na taxação dos dividendos, esses aumentos podem ser superiores a 15% sobre o valor dos dividendos (mesmo que tenham sido apurados antes da alteração).

As empresas com medo que essas mudanças ocorram em 2022, estão se organizando para antecipar os seus lucros.

As consequências 

Os especialistas preveem que, se realmente acontecer essa alteração na forma de tributação dos dividendos, esse aumento vai gerar uma grande quantidade de distribuição dos dividendos no mercado, e isso pode acontecer ainda este ano, o que chama a atenção de investidores.

Mas, antes de querer investir o seu dinheiro na bolsa, para conseguir possíveis lucros, você tem que considerar muitos outros pontos, não são todas empresas que dividem os dividendos de maneira igualitária, por isso as análises não podem seguir um padrão.

Por exemplo, a maioria das empresas do tipo Sociedade Anônima (S.A), pagam mais de 25% do lucro em dividendos para os acionistas da empresa e se acontecer um prejuízo a distribuição não acontece.

As empresas que estão em crescimento realizam pouca distribuição dos seus dividendos, já que utilizam o dinheiro dos dividendos para reinvestir no crescimento da empresa, com isso nessas empresas vão acontecer menos distribuição e consequentemente menos taxação sobre os dividendos.

Já as empresas grandes e consolidadas no mercado podem ser muito impactadas, pois elas não têm a necessidade de reinvestir os seus dividendos para o crescimento da empresa, isso faz com que essas empresas realizem uma maior distribuição dos dividendos, o que pode gerar um maior taxação para elas.

As empresas que realizam a distribuição dos dividendos com uma maior frequência devem fornecer bonificações para os acionistas e começar a recomprar as suas próprias ações, como uma forma de compensar esses tributos que podem surgir.

A antecipação dos Dividendos

Algumas empresas já começaram a realizar a antecipação dos dividendos, para evitar a taxação que pode ocorrer em 2022. A Petrobras, por exemplo, no mês de agosto deste ano ela anunciou que vai antecipar R$ 31,6 bilhões (valor equivalente a 6 bilhões de dólares) aos acionistas, o valor é quase três vezes maior do que a Petrobras pagou nos últimos anos (2,2 bilhões de dólares).

A CEB (Companhia Energética de Brasília) também antecipou para os seus acionistas o pagamento dos dividendos, 75% do lucro apurado no primeiro semestre, o valor é de 869,2 milhões de reais, contando com juros sobre capital próprio e dividendos. 

As empresas que não anteciparam seus dividendos não descartam a hipótese de antecipar, algumas empresas que ainda não anteciparam já se organizam para realizar tal ação, para evitar a tributação que pode estar a caminho.

Fonte: JornalContabil | 28/09/2021

   ÁREA RESTRITA